PQ’11 – o Conceito da Mostra Nacional Brasileira – 2011

Personagens e Fronteiras: Território Cenográfico Brasileiro 

Prêmio:  Triga de Ouro 2011

_MG_2357

“A proposta para a representação nacional brasileira na PQ’ 11 aborda os movimentos da cenografia e sua inquietude na contemporaneidade. Adota conceitualmente a ideia de cenografia como arte provocadora que se estabelece como uma fronteira pulsante de linguagens. Privilegia a ideia de um cenógrafo pensador, investigador de uma cenografia que se delineia como um abrigo, um abrigo sensorial de personagens e de ideias. Localiza personagens do território cultural brasileiro em diversos graus de urbanidade, personagens provindos de literatura dramatúrgica tradicional e pós-dramática, de narrativas de natureza híbrida e do cotidiano. A materialização do espaço expositivo é apresentada como Instalação, na qual a interação entre as produções artísticas da cenografia teatral, das artes visuais e da cultura popular revelam o homem brasileiro”   ABY COHEN e RONALD TEIXEIRA,  2011

pq11 ftec
veja esta página no link da PQ:  http://services.pq.cz/en/pq-07.html?itemID=309&type=national

Um lugar de existir 

Ao criar este pequeno abrigo para as diversas histórias, personagens, música, cores e movimentos que o compõem, imaginava possíveis combinações que pudessem traçar diálogos entre as obras expostas, além de intermediar matéria, espaço, luz e tecnologia, de maneira a conceber um espaço único, um lugar no qual gostaríamos todos de estar. Um lugar vivo! Um lugar que trouxesse ao visitante um sentido de aconchego, convidando-o a ali permanecer e explorar os detalhes de uma instalação que apresenta a rica diversidade da produção cenográfica brasileira.

Em contraste com o detalhe, a delicadeza e o refinamento dos trabalhos e pensamentos dos artistas que participam desta exposição, desejei explorar uma matéria em seu estado bruto, sem acabamentos. A escolha pelo madeirite como matéria que viria a dar corpo ao espaço expositivo e a servir de moldura para as obras, somou outros sentidos ao desenho da mostra. Além da cor inconfundível, trouxe a sua identidade muito característica do Brasil, matéria produzida e refugada que é redirecionada para outro uso e marcada pela cor, tingida, entranhada em sua fibra. É também um ícone de algo que se apresenta como temporário, por detrás do qual está por se revelar algo novo, surpreendente!

O desafio estava em trabalhar com a matéria bruta, de maneira a dar-lhe a qualidade de moldura para as obras, e criar um espaço vivo oferecendo sensação de conforto aos visitantes. Uma exposição criada para apresentado a produção da cenografia brasileira como arte, criando equilíbrio e diálogos entre eles, a fim de alcançar um ritmo vívido, pulsante, transformando este em um espaço de existir em seus muitos sentidos.

Seguindo o conceito de ‘lugar de existir’, o seu entorno não poderia ser outro, senão aquele que estabelece um diálogo com o espaço que ocupa, como uma extensão daquele que o recebe. O abrigo se apresenta no momento em que o visitante o adentra, como um lugar ou corpo que ali habita. Assim o é em cada espaço que habita

Aby Cohen, curadora e designer da Mostra Nacional Brasileira. – “Um lugar de existir” – é o texto autoral produzido para o catálogo da representação brasileira na PQ 2011.

https://abycohen.com/pq-quadrienal-de-praga/pq11-a-triga-de-ouro/

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s